Não há como agradar a todos…


Agradar a todos

Querer agradar a todos é uma tarefa bem difícil, praticamente impossível, pois todos são muitos, e cada um possui desejos e expectativas diferentes. Para agradar a todos, temos que nos desdobrar em muitos.

Se nos desdobramos para agradar diversas pessoas não nos mostramos como realmente somos, pois nos vestimos de máscaras para agradar cada pessoa. Com tantas máscaras, nos perdemos de nós mesmos, do que somos ou de como queremos ser.

Enquanto somos para o outro, não somos para nós mesmos, nossa identidade e singularidade é deixada de lado, e com o tempo vai se tornando fragilizada, pois não exercitamos mais ser quem somos.

Há pessoas que procuram agradar a todos, pensam que deste modo serão bem vistas e bem tratadas. Muitas vezes, pelo medo de desagradar, a pessoa diz sim a tudo, inclusive em momentos que gostaria de dizer não.

Quem faz muitos agrados, inevitavelmente espera um retorno, uma recompensa que nem sempre aparece, e isso pode gerar frustração e descontentamento. Com o tempo, a pessoa passa a sentir que faz muito e recebe pouco em troca.

O problema de querer algo em troca e sem pedir ou deixar claro na relação, é que nem todas pessoas sentem que devem corresponder a um agrado, a maioria das pessoas fazem o que estão querendo fazer no momento, independente se foram agradadas ou não.

Existe uma grande diferença entre ser para o outro e ser com o outro. Ser para o outro trata-se de fazer tudo para o outro, se importar todo o tempo com o outro e tomar ele como valor de sua ação. Já ser com o outro é ser você mesmo, respeitando seu modo de ser e conviver com o outro, sem se deixar de lado.

Quando fizer algo para agradar outra pessoa, faça se realmente desejar fazer. Se não quiser, não precisa fazer. Não se preocupe em ser bem visto, faça as coisas que se sente bem fazendo.

Se tem algo que você não se sente bem fazendo, não precisa fazer para agradar ou impressionar outra pessoa. Depois que fizer lembre-se que você fez porque quis fazer e ninguém te deve obrigações, se você fez é porque teve vontade de fazer, você não é obrigado a fazer.

Valorize quem merece, tenha cuidado ao tentar agradar todo mundo, em alguns momentos o melhor a fazer é dizer não aos outros, para dizer sim a si mesmo.

Bruno Carrasco

Bruno Carrasco

Psicoterapeuta que valoriza cada pessoa em seu modo de ser singular, promovendo seu autoconhecimento e sua autonomia para lidar com as dificuldades que atravessa, ampliando suas possibilidades de ser e de escolher sua vida. >Mais
Bruno Carrasco

Últimos posts por Bruno Carrasco (exibir todos)