Medo do que pode acontecer…


Medo do inesperado

Sinto medo do que pode acontecer, pode ser algo ruim, que eu fique triste ou que eu não saiba como reagir. Ainda não aconteceu, mas pode acontecer…

Quem nunca sentiu medo do que pode acontecer? Tudo o que pode acontecer, ainda não aconteceu, pode demorar para acontecer ou até nunca acontecer. Mas o que nos faz sentir medo do que pode acontecer?

Sentimos receio de não saber lidar com nova situação, com algo que possa nos amedrontar ou nos entristecer. Por receio de passar por situações como essas, podemos desenvolver um medo do que não conhecemos.

Isso pode ocorrer quando vamos a um lugar que nunca fomos, quando nos acontecem situações inesperadas, quando nos encontramos com uma pessoa que não gostamos, quando precisamos fazer algo que nunca fizemos, etc.

Esse sentimento de medo pode ser uma reação ao fato de não querer passar por uma situação nova, de achar que algo de ruim possa acontecer e querer evitar o um possível sofrimento, tristeza ou dor.

Mas, será que toda situação nova nos fará sofrer? E se isso acontecer, será que é tão ruim sofrer por um momento, ou nos sentir tristes?

Perante uma nova situação, o que for acontecer pode ser bom ou ruim, não há como saber antes de acontecer. Mas, mesmo assim, sentimos receio de que possa ser ruim, e isso faz temer o que pode vir…

Fomos criados numa sociedade onde a cultura é viver o prazer e evitar a dor, onde todo sofrimento e dor é visto como ruim. Quando alguém está chorando, logo outra pessoa diz “não chore, isso não é nada”.

Aprendemos o sofrimento é muito ruim e que precisa ser evitado, e vamos evitando até que chegamos a evitar a possibilidade do sofrimento. Isso não nos torna mais fortes, pelo contrário, nos torna mais amedrontados e fracos.

Ser forte não é evitar uma situação inesperada, mas vivenciar ela. Se desequilibrar, se reequilibrar, e se desenvolver com o que vivenciou.

O sofrimento não é de todo ruim. Na vida passamos por momentos alegres, mas também por momentos tristes. Quando sofremos nos sentimos mais humanos, assim como quando nos alegramos.

Se tentamos evitar o sofrimento a todo custo, cada vez menos nos sentiremos dispostos para lidar com ele. Nos afastamos tanto da possibilidade de sofrer que passamos a sentir um medo intenso de qualquer desconhecida, que possa ou não nos gerar sofrimento.

Quanto mais evitamos o sofrimento, mais nos tornamos frágeis e mais medo sentimos, e menos nos sentimos dispostos para lidar com situações inesperadas. Qualquer situação inesperada se torna ameaçadora demais.

Não é evitando o medo que lidamos com ele, mas nos permitindo sentir. O sofrimento é passageiro, como tudo na vida. Precisamos vivenciar o medo e deixar que ele se vá, para que nós também possamos seguir.

Viver é correr riscos, fazer escolhas e lidar com as consequências.

Bruno Carrasco

Bruno Carrasco

Psicoterapeuta que valoriza cada pessoa em seu modo de ser singular, promovendo seu autoconhecimento e sua autonomia para lidar com as dificuldades que atravessa, ampliando suas possibilidades de ser e de escolher sua vida. >Mais
Bruno Carrasco

Últimos posts por Bruno Carrasco (exibir todos)