Relacionamentos e expectativas


Relacionamentos e expectativas

Costumamos nos interessar por pessoas que nos identificamos com alguns de seus modos de ser, ou quando percebemos algo nelas que parece bom para nós.

Nos aproximamos de uma pessoa interessados pelos modos de ser dela que nos agradam. É muito comum esperarmos que ela se mostre tal como está no momento presente, quando a encontrarmos num momento futuro. De certo modo esperamos que ela repita seus modos de ser que nos agradaram anteriormente.

Porém as pessoas se transformam com o passar do tempo, e nossas expectativas nem sempre são realizadas. Por vezes nos sentimos frustrados e decepcionados por perceber que as  pessoas não continuam iguais antes. Tem pessoas que, ao perceber que suas expectativas não estão sendo correspondidas, culpam o outro por não ser como esperava que fosse.

As pessoas se diferenciam por seu modos de ser, suas crenças e valores. Conforme nos aproximamos de uma pessoa, as diferenças se acentuam, podendo gerar conflitos ou desentendimentos. Se esperamos que a pessoa corresponda com as nossas expectativas e não dialogamos nossos desejos, dificultamos a relação.

O conflito é uma condição para qualquer relacionamento, pois somos diferentes e as diferenças podem gerar conflitos, e cada pessoa tem o direito de ser como é. Cada pessoa possui sua história de vida, seus sentimentos e desejos. É preciso muita abertura e disposição para compreender e respeitar as características do outro.

A liberdade e o respeito são condições básicas para qualquer relacionamento.

Para compreender o outro, pode ser útil nos distanciarmos um pouco de nós mesmos, do que julgamos que o outro seja e do que esperamos que o outro seja. Deixando de lado nossas expectativas sobre a outra pessoa e permitindo que ela se mostre como é, e como quiser ser.

Quando nos abrimos para o contato com o outro, passamos a perceber melhor também a nós mesmos. Percebemos que os conflitos que atravessamos são oportunidades para nos desenvolver e ampliar nossa percepção sobre a vida, conhecendo outras possibilidades.

É por meio da resolução dos conflitos que compreendemos melhor as diferenças entre nós e os outros, respeitando as singularidades de cada um, estabelecendo uma relação mais autêntica e compreensiva.

A partir do momento em que compreendemos o outro em sua realidade, evitando interpretações prévias, nos permitimos conhecer como ele realmente é, não como julgamos ou esperamos que seja.

“Gostar da pessoa pelo que ela é, deixando de lado as expectativas do que quero que ela seja, deixando de lado meu desejo de adapta-la às minhas necessidades, é uma maneira muito mais difícil, porém mais enriquecedora de viver uma relação íntima satisfatória.”
(Carl Rogers)

Bruno Carrasco

Bruno Carrasco

Psicoterapeuta que valoriza cada pessoa em seu modo de ser singular, promovendo seu autoconhecimento e sua autonomia para lidar com as dificuldades que atravessa, ampliando suas possibilidades de ser e de escolher sua vida. >Mais
Bruno Carrasco

Últimos posts por Bruno Carrasco (exibir todos)