Sobre a terapia existencial


Terapia existencial

A terapia existencial é uma prática terapêutica com foco na existência e na sua relação com as pessoas, os espaços e consigo mesma. Atua com um enfoque mais filosófico do que médico, acreditando que cada pessoa está em constante movimento e transformação.

Cada indivíduo é singular e livre para escolher como viver sua vida, não há uma receita pronta de como devemos ser. Nossa vida é o resultado de nossas experiências e das escolhas que fazemos. Os problemas e as dificuldades que atravessamos surgem do simples fato de viver.

O objetivo da terapia existencial não é evitar os conflitos, mas colaborar para que possamos lidar de maneira mais saudável e autêntica sobre eles, compreendendo melhor a nós mesmos, nossas possibilidades e nosso entorno, de modo a encontrar e criar novas maneiras de reagir sobre as dificuldades, aprendendo e se desenvolvendo com elas.

A terapia possibilita uma compreensão mais ampla de si, de seus sentimentos, pensamentos, valores e expectativas com relação a vida. O intuito não é conduzir a pessoa a um modo de ser específico, mas possibilitar o encontro de novos modos de ser, alinhados com o que valoriza para si.

Na medida em que desenvolvemos a consciência de nós mesmos, nos aproximamos de nosso modo de ser autêntico, passando a fazer escolhas mais coerentes com nossas buscas, nos posicionando no mundo, alinhado o que sentimos e queremos, indo na direção de nossos interesses genuínos.

O terapeuta existencial não procura apresentar uma forma adequada de viver, pois cada pessoa é livre para viver de sua maneira, o que é bom para uma pessoa pode não ser para outra. Sua busca é desenvolver na pessoa uma autonomia psicológica suficiente para que ela possa lidar com suas dificuldades e ampliar suas possibilidades existenciais.

Essa abordagem não pretende explicar as questões da vida de maneira científica, inconsciente ou espiritual, mas aprofundar a compreensão da existência singular de cada pessoa. Cada indivíduo é respeitado como sendo único e singular, com sua história, seus valores e suas experiências subjetivas.

O mais importante não é aquilo que fizeram de nós,
mas o que fazemos com o que fizeram de nós.”
(Jean-Paul Sartre)

Bruno Carrasco

Bruno Carrasco

Psicoterapeuta que valoriza cada pessoa em seu modo de ser singular, promovendo seu autoconhecimento e sua autonomia para lidar com as dificuldades que atravessa, ampliando suas possibilidades de ser e de escolher sua vida. >Mais
Bruno Carrasco

Últimos posts por Bruno Carrasco (exibir todos)